← Voltar para a página inicial do Blog

Como o posicionamento de marca afeta na precificação de produtos?

como-o-posicionamento-de-marca-afeta-na-precificacao-de-produtos.jpeg

Mercados cada dia mais saturados exigem estratégias mais sofisticadas em termos de posicionamento por parte das empresas. Um dos problemas que podem ser enfrentados pelos gestores no momento de elaborá-las diz respeito à precificação de produtos e serviços. Você sabe como fazer isso sem prejudicar o posicionamento da sua marca?

Fique atento às dicas que selecionamos para este post, que trata justamente da importância do posicionamento e de como ele interfere diretamente nos resultados das marcas!

O que é posicionamento?

Trabalhar adequadamente o posicionamento das marcas é decisivo para o sucesso de qualquer empresa, mas nem sempre os gestores adotam os devidos cuidados ao elaborar suas estratégias nessa área.

O primeiro aspecto a ser observado é que, por mais tentador que seja “atirar” para todo lado, toda marca precisa de foco. Ou seja, tenha em mente qual é o principal objetivo e como ela pretende se diferenciar da concorrência.

Essa decisão, obviamente, não deve levar em conta apenas os atributos da marca, mas também as condições do mercado. Para esse último item vamos considerar a percepção dos consumidores, os critérios decisivos para sua compra e, claro, o comportamento da concorrência.

Como a precificação de produtos interfere no posicionamento?

O posicionamento tem relação direta, claro, com a reputação da marca, que é a forma como ela é percebida pelo consumidor. E especificamente no caso do e-commerce, está comprovado: posicionamento e reputação têm influência direta na decisão de compra do cliente. Segundo último relatório do Webshoppers, da e-bit, este é o quarto critério levado em conta pelo cliente, atrás de preço, qualidade e frete grátis.

Principalmente em mercado mais concorridos, é comum as empresas optarem por trabalhar seu posicionamento a partir de uma estratégia de preço. Ou seja, ser a marca mais barata ou mais cara do mercado pode ser um caminho para buscar diferenciação.

O mais importante, nesse caso, é ter uma estratégia bem definida. Posicionar-se com uma estratégia de preço mais elevada, por exemplo, só faz sentido para quem consegue, por meio dos atributos do produto, entregar mais para o consumidor. Fique atento: esse tipo de estratégia exige consistência.

Parece fácil em um primeiro momento, mas também é complicado sustentar a estratégia de melhor preço. Ela exige mudanças nos processos internos e, principalmente, monitoramento constante da concorrência. E atenção: a estratégia não deve tornar-se predatória, ou seja, prejudicar de alguma forma a proposta de valor do produto.

O que é preciso levar em conta, nesse caso, é se essa estratégia vai ajudá-lo a atrair clientes que estão insatisfeitos com a marca concorrente e consumidores que, por alguma razão, definem suas compras basicamente a partir de preço.

Como não errar na precificação de produtos?

Como se pode perceber, uma boa estratégia de precificação de produtos pode ajudar a definir o posicionamento da marca, a forma como ela é vista pelos seus clientes. Para os gestores, o desafio é conseguir analisar todas as variáveis envolvidas nesse processo.

Para não errar, o mais importante é ter à disposição o maior volume possível de informações sobre a concorrência (as marcas não são analisadas de forma isolada, mas dentro de um determinado contexto) e, claro, a respeito do comportamento do consumidor.

Quer saber mais sobre as ferramentas disponíveis hoje no mercado para ajudar na precificação de produtos e serviços? Entre em contato com a Precifica! Vamos esclarecer suas dúvidas sobre o assunto.

Gostou desse conteúdo?