← Voltar para a página inicial do Blog

E-Commerce: como e por que estar no Marketplace?

54121-estender-ecommerce-o-que-voce-precisa-entender-para-estar-em-um-marketplace

O comércio eletrônico vem mudando a forma pela qual as pessoas consomem mercadorias, e os vendedores precisam se adaptar constantemente às novas regras e paradigmas do mercado.

Em tempos de alta concorrência e de um ambiente virtual quase ilimitado, talvez o obstáculo mais evidente seja a aproximação com o público. Por conta disso, estar no Marketplace pode ser uma estratégia fundamental para empresas digitais de pequeno, médio ou grande porte.

Muitos lojistas têm enxergado o Marketplace como uma excelente oportunidade para potencializar seus resultados. É um caminho alternativo para atrair a atenção dos internautas e beneficiar todos os envolvidos no processo de vendas.

Ficou interessado? Quer compreender melhor esse conceito e descobrir como entrar em um Marketplace? Então, confira estas e outras respostas no conteúdo a seguir.

O que é um Marketplace?

O Marketplace é uma nova tendência de comércio virtual na qual várias empresas de e-commerce podem vender seus produtos ou serviços em um único site, também chamado de e-shopping ou shopping online. O lojista credencia seu empreendimento e os itens disponíveis, e quando os consumidores entrarem na página do Marketplace poderão encontrá-los em um só local.

Diversos Marketplaces estão entre os sites com maior número de visitas no país, o que logicamente aumenta as chances de vendas. A descrição das mercadorias e as imagens são de responsabilidade do vendedor e é cobrada apenas uma comissão sobre as transações efetivadas.

Após o consumidor confirmar a compra, o comerciante é o responsável pela logística, garantindo a entrega dos seus artigos aos clientes finais.

Quais são os benefícios de estar em um Marketplace?

As vantagens de participar de um Marketplace são imensas. O internauta, por exemplo, pode encontrar uma variedade enorme de mercadorias em um só local, realizando diversas compras com apenas um pagamento.

Essa facilidade atrai um público vasto e isso, somado ao fato de várias empresas desse tipo terem grande prestígio e boa reputação no mercado, garante um grande impulso ao seu negócio, gerando um número elevado de visitantes e trazendo mais credibilidade para os lojistas que estão expondo suas mercadorias.

Outra prerrogativa importante que é inerente a esse modelo de vendas é relativa ao investimento realizado em campanhas de marketing e publicidade. Como são diversos empreendimentos anunciando seus itens no mesmo local, o custo acaba sendo dividido por todos esses negócios que estão compartilhando o espaço, o que praticamente pulveriza os gastos envolvidos.

Pequenas lojas virtuais, por sua vez, podem colher ainda mais benefícios. Elas conseguem agregar valor à sua marca e atingir um grande público, sem ao menos precisar contar com uma grande estrutura de e-commerce, pois isso é oferecido pelo próprio Marketplace.

Isso é altamente positivo, por exemplo, com relação à prevenção de fraudes, já que a cobrança fica por conta do Marketplace e não das próprias lojas, permitindo que todo o processo seja realizado de maneira prática, automática e com total segurança.

Ao decidir fazer parte de um Marketplace, você terá à sua disposição uma estrutura experimentada e pronta. Seu empreendimento poderá comercializar suas mercadorias sob a tutela de uma marca forte, amplamente reconhecida pelos consumidores. Seu trabalho será apenas oferecer um preço competitivo, fazer descrições atrativas e entregar os produtos em condições adequadas.

A comissão cobrada pelos Marketplaces costuma incluir serviços antifraude, SAC, meios de pagamento e participação nas campanhas de marketing. Ou seja, você simplesmente deixa de ter esses gastos quando vende por um Marketplace.

Como entrar em um Marketplace?

Cada Marketplace define suas próprias regras e métodos de entrada. No entanto, existem alguns itens que costumam ser comuns nesse processo. Seguindo esses passos, você possivelmente conseguirá agregar uma marca reconhecida à comercialização dos seus produtos. Confira como entrar em um Marketplace:

1. Escolha por área

É importante considerar que cada Marketplace tem um nicho e público-alvo específico. Por conta disso, você deve observar sua área de atuação e também qual o tipo de comprador você pretende atingir. Em muitos casos, a estratégia mais certeira será investir em mais de um Marketplace, porém, se seu nicho é de eletrônicos, não faz sentido entrar em um que seja especializado em móveis, por exemplo.

2. Meça a reputação

Você deve também analisar como o Marketplace é visto pelos internautas. Uma boa maneira de saber isso é por meio de alguns sites de referência do mercado, como o E-bit e o Reclame Aqui.

As empresas mais premiadas e com boa reputação tendem a ser mais atrativas ao cliente, além de agregarem mais valor ao seu negócio. Também é importante identificar se o Marketplace investe em protocolos de proteção e possui certificados SSL e selos de segurança.

3. Coloque a documentação em dia

Para entrar em um Marketplace, você precisa ter um registro formal do seu empreendimento, que envolve ter um CNPJ e todas as inscrições estaduais em dia.

Alguns sites exigem também um tempo mínimo de funcionamento e avaliações em empresas de reputação digital. Você precisa encaminhar todas essas informações para aprovação de cadastro. Esse processo não costuma demorar e, após sua finalização, você pode vender seus produtos nos Marketplaces de sua preferência.

4. Precifique com inteligência

Apesar de cada Marketplaces possuir seus próprios critérios de classificação para a caixa de destaque (BuyBox), ter um preço competitivo aumenta consideravelmente suas chances de destaque. Por isso mesmo, você deve fazer de tudo para achar o preço ideal de cada item. Observe a concorrência, reveja suas margens de lucro e trabalhe oferecendo descontos no frete, pois o custo de entrega também é levado em conta na hora de ranquear.

5. Invista em integração

Integrar todos os seus produtos e dados com o Marketplace é sempre uma ideia interessante, que pode conferir mais agilidade nas suas vendas. Algumas dessas empresas até oferecem um time técnico para facilitar esse processo.

Feito isso, será possível, dentre outras coisas, trabalhar com atualizações em tempo real de estoque, sem precisar alterar o portfólio manualmente. Trata-se de um investimento discreto, mas com elevado potencial de retorno.

Como funciona o marketing B2B no Marketplace?

As transações do tipo B2B (business-to-business) são relações de negócios entre empresas, em oposição ao B2C (business-to-consumer), que é uma relação entre empresa e consumidor. Elas são tipicamente mais complexas e envolvem múltiplos membros — tanto do lado de quem está comprando quando de quem está vendendo.

Em ambos os contextos de uma transação B2B, a compreensão da importância do marketing é similar, de forma que eles focam em criar valor para seus clientes, além de focar, também, em nichos de mercado e segmentos industriais, sem tentar servir a todos. Quando falamos em Marketplace, podemos trazer 4 tipos principais de negócios B2B. Veja:

1. Manufatura ou produção de bens de consumo

Neste caso, a empresa compra matéria-prima, componentes e peças que usa para fabricar seus próprios produtos. A partir daí ela vende o resultado para outras empresas ou diretamente para o consumidor.

Podemos citar como exemplos tão distintos, o negócio ocorrido entre uma metalurgia e uma fabricante de peças metálicas para automóveis, ou, ainda, esta mesma fabricante de peças que vende os itens para uma montadora de veículos.

2. Revendedores

São intermediadores que revendem produtos manufaturados, sem alterar significativamente sua forma. Por exemplo, uma distribuidora adquire produtos diretamente dos fabricantes e os vende para varejistas, os quais, por sua vez, vendem para o consumidor.

É o caso bastante comuns das lojas atacadistas, que adquirem produtos diretamente do fabricante por um preço bem baixo e revendem os itens para outras lojas — por um preço competitivo.

3. Instituições

É quando uma empresa vende produtos para instituições, como hospitais, escolas, universidades, museus, organizações religiosas, clubes esportivos, entre outros.

Por exemplo: uma empresa que vende aparelhos de raio-X para hospitais; um fornecedor de produtos de informática que vende computadores para uma universidade; ou, ainda, uma fabricante de artigos esportivos que vende bolas de futebol para um time usar em seus treinos.

4. Governo

Em muitos países, inclusive no Brasil, o governo é um dos maiores compradores de produtos e serviços em larga escala. O mesmo serve para a esfera federal, estadual ou municipal. Por aqui, as transações são realizadas após um processo de licitação pública.

As possibilidades são infinitas, e vão desde a aquisição de materiais de escritório até a prestação de serviços terceirizados — quase todos os setores são abarcados.

Marketplace de nicho: qual sua vantagem?

Um Marketplace de nicho pode ser um modelo de negócio bastante atrativo, com a habilidade de escalar e capturar todo um mercado. Exemplos de sucesso são: Netshoes, a Zattini, entre muitas outras empresas.

A grande vantagem de optar por uma Marketplace de nicho, é segmentar um público altamente qualificado. É sabido que uma clientela segmentada é mais fácil de se fidelizar, uma vez que ela vê autoridade em seu negócio de nicho. O nicho sempre parecerá mais humanizado, pois foca exatamente no problema que a pessoa está procurando resolver.

Podemos citar 3 grandes bons motivos para se investir num Marketplace de nicho:

  1. Aumento de confiança: as pessoas tendem a confiar mais em lojas especializadas, que vendem soluções para problemas específicos.
  2. Marketing direcionado: estratégias de mídia social e comunicação de marketing são personalizadas e focam no engajamento.
  3. Melhor experiência do consumidor: no nicho, é possível melhorar a experiência global do cliente, desde a eficácia do conteúdo até aos produtos e serviços personalizados.

E agora, descobriu como entrar em um Marketplace e por que isso é altamente positivo para sua loja virtual? Agora é hora de seguir esses passos e buscar o parceiro ideal para vender os seus produtos! Ah, e não se esqueça de compartilhar nosso artigo em suas redes sociais e se tornar referência no assunto!

marketplace_banner-conteudo_v2 (2)

 

Gostou desse conteúdo?